14 de abr de 2014

O mundo gira e ninguém te espera.

Goiânia, 09 de março de 2014.  20º C, tempo nublado com pancadas de chuva.

Aqui estou eu novamente, esse tempo nublado, meio sonolenta, de pijama em plena quarta feira as quatro horas da tarde. Se isso é normal, então não entendo porque tanta gente detesta o normal.

Hoje, após muito pensar sobre, resolvi procurar por pessoas que eu conhecia e que a algum tempo havia deletado do meu perfil. Abri primeiro o perfil do meu namorado, procurei por alguns nomes, encontrei todos eles, adicionei. Passei então para o perfil do meu ex e me choquei com a quantidade exorbitante de pessoas que eu não fazia a mínima ideia de quem são, finalmente encontrei umas duas pessoas, adicionei elas e vamos para o próximo perfil que foi o de um amigo do ensino médio, estava a procura desse povo que conheci e perdi completamente o contato, achei poucos e estavam todos completamente diferentes.

Adicionei em particular uma colega, mais ou menos colega. Ela era do tipo doidona e eu do tipo nerd, fizemos o ultimo ano do ensino médio juntas e nunca tive muita coragem nem de dizer olá. Bobeira, eu sei. Me surpreendi de maneira inigualável quando descobri que ela tinha um blog sobre moda e maquiagem, alias estou apaixonada nas makes bafonicas que ela faz, e resolvi conversar um pouco. Não é que ela é legal? E o mais legal ainda, ela não é marrenta igual imaginava.

Tem três anos que sai do ensino médio, e admito que pouco me importei em manter amizades nesse período, me arrependo disso, eram pessoas legais. Eles seguiram caminhos completamente diferentes do meu, se tornaram pessoas incríveis, mas diferentes do que conhecia e percebi isso quando resolvi procurar por eles.

O mundo gira, ninguém te espera, e quando você menos percebe o seu mundo girou e nem você se deu conta. Tenho características muito auto-suficientes do tipo ficar o dia todo no quarto, não gostar que mexam nas minhas coisas, caçar briga se pegarem nos meus livros e dá morte se olhar pros vinis. Mas isso não é muito bom não. Toda essa fase anti-social que vivi enquanto descobria para o que nasci foi também uma fase complicada e muito mais por minha causa do que por causa dos outros. Escolhi viver dessa forma esperando que as pessoas fossem lutar por mim, acontece que todo mundo respeitou minha decisão e seguiu com a própria vida. Como disse, ninguém te espera.

Para terminar logo com esse texto que tá muito longo deixo aqui meu apelo para uma auto analise e uma crítica bem dura quanto a si mesmo. A pergunta que deve ser feita é: será que o problema é realmente nos outros ou sou eu esse tempo todo e não percebi?

Já aviso que no meu caso, o problema foi a minha falta de interesse nas pessoas e não delas em mim. 

Beijos.

2 comentários:

  1. Wanessa, que texto lindo.
    Ninguém espera a gente mesmo.
    Recentemente eu terminei um relacionamento longo e a primeira coisa que eu pensei foi: não posso ficar parada, tem um mundo inteiro de oportunidades girando aí e eu não posso ficar triste, remoendo os problemas.
    Assumi ser feliz, mesmo com a tristeza no coração e fez bem. Muito bem.
    Tem horas que a gente não tem paciência mesmo pros outros, mas não é errado tentar ser sociável de vez em quando.
    Beijinhos ;*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Deda, fico muito feliz que você tenha gostado. Então ótimo, mexa-se, seja feliz, radiante, vá a luta, porquê nos dias de hoje é a princesa que encontra o príncipe! Beijos.

      Excluir