2 de abr de 2014

Em sua forma mais simples e menos complicada

Gosto de amar e amo intensamente. A mim não interessa todas essas frescuras, quando quero, quero e quero para ontem. Se um beijo eu lhe der ele será bem dado, daqueles que te dizem sem nenhuma palavra o que pensei para nós.

Essa coisa de ir de vagar, com calma, pensar muito antes do próximo passo, isso não é para mim. Gosto dos beijos demorados, de olho no olho, de paixões avassaladoras e de sentir aquela sensação boa que sinto quando você me abraça.

Quero sua risada mais sincera, seu sentimento mais profundo, o prazer mais puro, quero tudo e quero já. Se hoje eu pudesse te dizer com todas as palavras o que pretendo para nós, esperaria em troca um daqueles seus olhares e, quem sabe, um sorriso, talvez tímido, talvez não.

Se dependesse das minhas vontades, hoje seria como todos os dias que penso para nós, desde os mais meigos aos mais quentes e não, nunca me envergonharei por te desejar tanto, é só no que penso quando estou com você.

Seu olhar no meu, sua mão sem querer toca a minha, nosso primeiro abraço, minhas mãos tocando seu cabelo, seu cheiro invadindo meu corpo, a sensação de querer ficar ali até que ficar ali não seja suficiente.

Amor, na minha humilde opinião, tem que ser vivido intensamente, sem frescuras, sem rodeios, com respeito, mas principalmente sendo sincero em tudo, em todos os quereres, em todas as verdades. Sem essa de me deixa ou me larga, não, pelo contrário, não me larga, fica mais um pouco. Completa o meu hoje e o meu sempre.

Amo como se ama o amor, em sua forma mais simples e menos complicada. E você?

Nenhum comentário:

Postar um comentário