12 de mar de 2014

Chuvas de março

Hoje acordei, abri minha janela e não havia luz suficiente para iluminar o quarto. No ar uma penumbra cinzenta que combinava perfeitamente com os pingos de chuva no telhado e com o céu carregado.

Normalmente manhãs chuvosas me deixam melancólica e até um pouco carente, mas não dessa vez. Hoje senti vontade de sair para tomar banho de chuva, me molhar e sentar ali no meio dela e deixar me purificar pela sua fluidez. Hoje senti vontade de mostrar a todos que mesmo quando o tempo tá cinza ainda dá para ser feliz.

Felicidade é um daqueles termos que normalmente quando discutidos filosoficamente acabam por se tornar infindáveis. Porém felicidade pode ser acordar cedo, tomar uma xícara de café e se sentar na varanda para ler e ouvir o barulho forte e rítmico que essa chuva faz.

Quanto a esse barulho ele é ótimo, ele é tão alto e claro que silencia até o mais inquieto coração, é só a chuva limpando tudo, levando tudo, sendo o centro das atenções de quem pode observá-la e de quem teme a por ter esquecido o guarda-chuva em casa.

Estamos em março, essas chuvas são nada mais nada menos que o fechar das águas de verão, são seus últimos momentos intensos e como quem não quer ir ela vem e volta inúmeras vezes ao dia, afinal são chuvas de verão.

Poderia ser pau, pedra, fim do caminho, mas também pode ser as águas de março fechando o verão é promessa de vida pro seu coração.

Você quem decide.

Nenhum comentário:

Postar um comentário