30 de mar de 2014

Antes, durante e agora.

A vida já nem fazia tanto sentido assim, com tantos problemas por vir e depois de tantas outras dores me descubro pensando mais em quem seria destinado para mim do que no vestibular que deveria enfrentar no ano seguinte.

Não sei se é só comigo, mas normalmente quando amo me jogo de cabeça e se tiver que me arrepender de algo não será de não ter lutado, eu vou até o fim. E o fim havia chegado, num tempo que era cinza e conturbado onde as nuvens carregadas. prenuncio de chuva, pareciam refletir meus sentimentos e onde placa alguma dizia qual caminho seguir.

Então um dia, como quem não queria nada, com todo esse jeito tímido, os olhos grandes e alegres, as piadas que pediam para serem engraçadas e com aquele milk shake que foi horrível você apareceu.

A vida já nem fazia tanto sentido assim, passou a ter menos. E cada dia que passava era uma descoberta nova sobre meu eu e menos preocupada estava com o sentido das coisas.

Mão na mão, olhos felizes, um momento de incerteza e muitos sorrisos, isso é um resumo mal feito do que fomos.

Mão na mão, coração na boca, felicidade instantânea, amor de verão que durará por vários verões e tudo que não fazia sentido algum começa a se encaixar. A imagem que forma me diz com todas as letras: Não queira fazer sentido, viva porque esse é o sentido.

Talvez, digo só talvez, por não ter sentido é que demos certo. Que bom, porque gosto da sua loucura.

2 comentários:

  1. "Não sei se é só comigo, mas normalmente quando amo me jogo de cabeça e se tiver que me arrepender de algo não será de não ter lutado, eu vou até o fim."

    Que essa frase inspire muitas pessoas, pois concordo plenamente! :3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como li em um texto do depois dos quinze, que não seja por preguiça ou falta de tempo que o amor acabe.

      Excluir